O Jornal mais lido de Pinhais

Get Adobe Flash player

Projeto de Lei prevê a atualização dos limites vigentes desde 1951. Proposta é resultado de estudos feitos pelo Instituto Água e Terra, em parceria com a Comec e participação das prefeituras.

A Câmara dos Vereadores de Curitiba debate nesta terça-feira (06) o projeto de atualização do limite territorial entre os municípios de Curitiba e São José dos Pinhais. A proposta é resultado de estudos realizados pelo Instituto Água e Terra (IAT), vinculado à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, em parceria com a Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec) e participação das prefeituras.

A intenção da iniciativa é simplificar e determinar, definitivamente, as atribuições de questões administrativas da faixa territorial que divide as duas cidades. Atualmente, o Parque São José, que tem sua administração inteiramente sob responsabilidade de São José dos Pinhais, encontra-se com parte de sua área em Curitiba. A administração do parque sob responsabilidade de São José dos Pinhais está fundamentada na Lei Estadual nº 790/51, que define o limite das cidades. O documento define, ainda, que o limite de Curitiba é descrito da seguinte maneira: “Da foz do Rio Barigui no Rio Iguaçu, sobe por este até a foz do Rio Atuba”.

“Este descritivo já está totalmente desatualizado, não cumpre sua função de delimitar com clareza os territórios dos municípios”, afirma Amauri Pampuch, técnico da Diretoria de Gestão Territorial do IAT.

Segundo o presidente da Comec, Gilson Santos, a proposta de atualização do limite é importante. “Vai corrigir um desentendimento de anos, trazendo mais segurança para ambos os municípios e, principalmente, para a população, que saberá exatamente quem ela deverá cobrar.”

Ele destaca, ainda, que este trabalho deverá ser ampliado para outros municípios que enfrentam o mesmo problema.

NOVO LIMITE - O projeto de atualização prevê que o novo determinante da divisa entre as cidades seja os leitos retificados dos Rios Iraí e Iguaçú. O critério para utilização dos  canais  dos referidos cursos  d’água como delimitante territorial é a fácil percepção visual, de maneira a minimizar possíveis dúvidas dos limites municipais.

Dessa maneira, ambos os municípios mantêm praticamente a mesma área territorial e definem suas áreas administrativas definitivamente, de maneira a evitar possíveis disputas territoriais.

EXTENSÃO - Apesar da mudança, a extensão territorial dos municípios deve passar por alterações mínimas. Isso porque a proposta foi criada buscando manter o atual território, já que nenhum dos dois municípios gostaria de perder áreas e qualquer mudança neste sentido poderia inviabilizar o projeto.

  “O que houve foi um estudo de compensação de áreas para evitar perda territorial que fosse significativa. Alguma alteração de área sempre terá, porém mínima para mais ou para menos”, afirma Pampuch.

A proposta agora será apresentada à Câmara Municipal de Curitiba, onde será debatida pelos vereadores e, na sequência, encaminhada como Projeto de Lei à Assembleia Legislativa do Paraná, para aprovação do limite proposto. Em São José dos Pinhais, o estudo já foi votado com parecer favorável em junho deste ano.

 

 

 

Pinhais (área de Recalque do Reservatório Jacob Macanhan): Alto Atuba 1 e 2, Emiliano Perneta 2, Centro 1 e 2, Palmital 1 e 2, Sete Vilas, Estância Pinhais 2.
Pinhais (área da Gravidade do Reservatório Apoiado Alphaville): Alphaville Graciosa.
Pinhais (área da Gravidade do Reservatório Elevado Alphaville): Alphaville Graciosa.

Greca e Margarita estão internados com pneumonia causada pela Covid-19

O Hospital Nossa Senhora das Graças divulgou, na tarde desta segunda-feira (28), um novo boletim atualizando a evolução clínica do prefeito de Curitiba, Rafael Greca, e da primeira-dama Margarita Sansone. Os dois estão internados desde a tarde deste domingo (27), com a confirmação de Covid-19.

 
 
Foto: Divulgação

De acordo com o boletim assinado pelo presidente da Sociedade Brasileira de Infectologia, Clovis Arns da Cunha, ambos permanecem internados no quarto e estão sem febre. “O Prefeito respira confortavelmente em ar ambiente e o resultado dos exames laboratoriais realizados na data de hoje são bons. A Primeira-Dama está fazendo o uso de oxigênio nasal, com resultado dos exames laboratoriais estáveis”, diz o boletim.

Greca e Margarita estão internados com pneumonia causada pela Covid-19 e, segundo o hospital, apresentam boa evolução clínica com as medidas terapêuticas instituídas. 

Atualmente, Greca é candidato à reeleição em Curitiba pelo DEM. Ele e Margarita estão no grupo de risco da doença.

Pela manhã, o prefeito respondeu a um internauta que lhe desejou melhoras em uma postagem na rede social Facebook: “Estamos bem”, afirmou ele, por volta das 9h desta segunda-feira (28).

 

Mister Pinhais morre aos 30 anos com problemas respiratórios

Eduardo Woginski, de 30 anos, eleito Mister Pinhais 2019 morreu nesta segunda-feira (28) em decorrência de problemas respiratórios. O jovem que foi o vencedor do concurso de beleza na cidade da região metropolitana da capital estava internado na Hospital Santa Casa em Curitiba.

 

De acordo com Arnaldo Silveira, coordenador e realizador do Mister Pinhais, Eduardo havia sido diagnosticado com fungo nos pulmões e foi internado duas vezes. Na última, ficou uma semana no hospital.

“Antes de agravar, ela já tinha sido internado e ficou uns três dias no hospital. Ai, melhorou, ganhou alta, ficou em casa medicado. Mas depois passou mal e foi internado novamente até hoje de manhã quando faleceu”, explicou Silveira.

O coordenador do concurso fez questão de ressaltar que o mister era “uma pessoa iluminada” e que fará falta para todos que tiverem o privilégio de conviver com ele.

O falecimento comoveu as rede sociais e muitas pessoas publicaram homenagens para Eduardo. Veja:

“Eduardo WoginskiMal da para acreditar que as pessoas mais, lindas, mais importantes e mais brilhantes desse mundo tem que nos deixar. O palco está triste, no camarim a fantasia empueirada, nas nossas memórias a cena da última peça, o auditório está vazio, as luzes se apagaram, as portas se fecharam.Em nosso coração para sempre, o melhor professor de Teatro do mundo! Continuaremos aqui o espetáculo com tudo que aprendemos com você! Obrigado por tudo que significou e sempre significará em minha vida. Deus conforte o coração de seus familiares”, escreveu um aluno.

 

Instituto Água e Terra desenvolveu o sistema que mostra em tempo real que altura está o nível do rio, indicando o quanto choveu no período. Sistema ajuda a informar a sociedade sobre pior estiagem dos últimos anos. Média é atualizada toda semana, nas quintas-feiras.

A população pode conferir como está o nível dos rios em todo o Paraná pela internet. O Instituto Água e Terra (IAT), vinculado à Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, desenvolveu um sistema que mostra em tempo real o nível dos rios, indicando o quanto choveu. Um painel geográfico, chamado Hidroinfoparana, mostra o conjunto de estações de monitoramento hidrológico dos principais rios da Bacia Hidrográfica do Estado. 

O IAT é o órgão gestor estadual de recursos hídricos responsável pelo monitoramento hidrológico de todo o Estado. “Estamos vivendo a pior seca da história e é necessário informar a sociedade para que ela participe e entenda os motivos de muitas decisões tomadas”, explicou o secretário do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Márcio Nunes.

O diretor-presidente do IAT, Everton Souza, explica que a baixa dos níveis dos rios impacta em políticas públicas. “Fica mais fácil para a sociedade compreender medidas como a proibição da pesca e da queima da cana-de-açúcar, por exemplo, decisões influenciadas por baixa umidade do ar e baixa precipitação nos rios”, disse.

TEMPO REAL - A chefe do Núcleo da Inteligência Geográfica e da Informação do IAT, Jaqueline Dorneles, explica que a ferramenta foi criada com o objetivo de acompanhar onde chove. “As estações mostram de forma remota e em tempo real em que altura está o nível do rio, indicando o quanto choveu no período. É uma forma, também, de dar transparência para a população, mesmo porque a ajuda da sociedade é fundamental para superar a crise hídrica em que vivemos atualmente”, explicou.

De acordo com o gerente de monitoramento e fiscalização do IAT, Alvaro Goes, os dados são de estações próprias do órgão e também as da Agência Nacional de Águas (ANA), da Copel e de outras concessionárias de geração de energia. “Atualmente, o IAT conta com 80 estações telemétricas que mostram de forma remota e em tempo real em que altura está o nível do rio e mais 450 estações de medição manual”, disse.

MAIOR RIO – O sistema atualizado nesta quinta-feira mostra dados de 59 pontos monitorados, onde apenas três indicam nível acima da média: os rios Porto Londrina, Cebolão e Chácara Ana Claudia, todos no Norte do Estado.

Afluente do Rio Paraná, o Rio Iguaçu é o maior do Estado em extensão. Formado pelo encontro dos rios Iraí e Atuba na parte Leste de Curitiba, ele deságua nas Cataratas do Iguaçu.

São cerca de 1300 km de extensão e 10 pontos de monitoramento do nível de água. Todos em situação crítica, abaixo da média, de acordo com as informações do Hidroinfoparana.

COMO USAR – Um sensor instalado nos rios monitorados manda informações a um equipamento que, por sua vez, as repassa via satélite. Atualmente, o sistema mostra informações de cerca de 80 estações telemétricas. A média semanal é atualizada toda quinta-feira. As estações onde o nível está acima da cota média são mostradas em verde enquanto as que estão abaixo da média são mostradas em vermelho.

As informações de chuva e nível dos rios também são mostradas através de gráficos. É possível consultar os dados através de filtros como rio e unidade hidrográfica, além dos dados e gráficos específicos de cada estação.

Para fazer as consultas, basta acessar o site www.iat.pr.gov.br, clicar em “Monitoramento” e em seguida em “Monitoramento Hidrométrico”

A Polícia Civil e a Polícia Militar do Paraná estão nas ruas, desde as primeiras horas da manhã desta terça-feira (22), para desmantelar associação criminosa que comanda o tráfico de drogas no Centro e no bairro Cajuru, na capital, e em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba.

Batizada de Lisboa, a operação visa cumprir 37 mandados de busca e apreensão em endereços relacionados aos alvos e 16 mandados de prisão preventiva contra líderes, gerentes, fornecedores e distribuidores de drogas naquelas regiões. 

Durante as investigações, que duraram cerca de 6 meses, a PCPR e a PMPR observaram que houve pouca ou nenhuma alternância na liderança do bando. É como se a associação criminosa fosse composta por líderes gerais, gerentes operacionais e revendedores finais – conhecidos como “pistas”, esses substituídos com frequência. 

CENTRO – As drogas que abasteciam o tráfico no Centro de Curitiba eram fornecidas por líderes distintos que comandavam o crime em Pinhais e no bairro Cajuru. Nesta região, a PCPR e PMPR cumprem 17 mandados de busca e apreensão e sete mandados de prisão preventiva. 

CAJURU – O gerente operacional que atuava no bairro também distribuía drogas para revendedores finais do município de São José dos Pinhais, na RMC. Seis pessoas são alvos de prisão preventiva e 15 mandados de busca e apreensão serão cumpridos na região. 

Pinhais – O tráfico era comandado por um indivíduo com antecedentes por tráfico de drogas. Ele foi preso em 2016, com 73 quilos de crack, e estava em liberdade atuando no município e no Centro de Curitiba.  Aqui a PCPR e PMPR miram oito alvos. Três com mandados de prisão preventiva e cinco com mandados de busca e apreensão. 

INVESTIGAÇÕES – No decorrer das investigações foram presas em flagrante 17 pessoas ligadas ao bando, cumpridos quatro mandados de prisão preventiva, uma apreensão de adolescente, apreensão de duas armas de fogo, 173 gramas de cocaína, 2,3 quilos de crack e 4,8 quilos de maconha.

 

Localizada em Pinhais, na Grande Curitiba, Represa do Iraí é uma das mais atingidas pela estiagem e o plantio também simbolizou ação de preservação ambiental. Em todo o Paraná, 550 mil são distribuídas nesta segunda-feira, 21 de setembro.  

 

A represa do Rio Iraí, em Pinhais, Região Metropolitana de Curitiba, recebeu nesta segunda-feira, 21 de setembro, o plantio de 31 mudas de espécies nativas. Atingida pela seca, a barragem do Iraí está hoje com 16,91% de sua capacidade, nível mais baixo entre todos os reservatórios da Sanepar. O plantio de mudas simbolizou a comemoração pelo Dia da Árvore e as ações de preservação ambiental que acontecem em todo o Paraná.

O Reservatório do Rio Iraí fica no Parque das Nascentes, um dos Centros de Educação Ambiental da Sanepar. Foram plantadas mudas de Araçá, Sassafrás, Erva Mate, Pitanga, Baguaçu, Canjarana, Ipê amarelo, Gurucaia e Araucária. A ação foi realizada pela Sanepar, a Secretaria do Estado de Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, o Instituto Água e Terra (IAT) e a Secretaria de Meio Ambiente do Município de Pinhais.

Outra área da Sanepar, de quatro hectares, às margens do Rio Timbu, importante afluente da Represa do Iraí, também está sendo preparada para o plantio, totalizando quatro mil mudas em torno do reservatório.

CONSCIENTIZAR - Em todo o Paraná, 550 mil mudas foram plantadas, dentro do programa Paraná mais Verde, desenvolvido pelo Governo do Estado. As 550 mil mudas cobrem área equivalente a 500 campos de futebol. “Todos os 19 viveiros do Estado estão atuando para conscientizar a população sobre a importância das árvores para a natureza”, destacou o secretário do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Márcio Nunes. “É uma grande ação que demonstra que o Paraná é o Estado que mais cuida e mais recupera o meio ambiente no Brasil”, completou.

O diretor de Meio Ambiente da Sanepar, Julio Gonchorosky, destacou que toda área de floresta é extremamente importante para a manutenção dos recursos hídricos por elevar o lençol freático. “Plantar árvore também é plantar água”, disse ele.

De acordo com Gonchorosky, o plantio de espécies nativas no local contribui para a atividade de educação socioambiental que já é feita no local pela Sanepar. “Estão sendo plantados espécies da flora nativa do Paraná, como pitanga, erva-mate e cedro, para que as pessoas conheçam na natureza o que já consomem”, disse. As mudas são do viveiro do IAT de Curitiba, com capacidade de produzir cerca de um milhão de mudas ao ano.

O diretor-presidente do IAT, Everton Souza, também ressaltou a importância do plantio na área da Bacia do Iraí sobretudo em função da crise hídrica que afeta o Paraná. “Esse plantio na maior bacia da Região Metropolitana, que hoje sofre com a estiagem, dá a conotação da recuperação ambiental no entorno dos reservatórios para auxiliar na produção de água”, destacou.

PARANÁ MAIS VERDE – As ações de plantio e distribuição de mudas no Dia da Árvore são parte do Programa Paraná Mais Verde. O programa teve início em 2019, com a distribuição de mais de 400 mil mudas aos alunos das 2.100 escolas estaduais e 400 escolas especiais nos 399 municípios.

O programa tem como meta o plantio de 10 milhões de árvores em todo o Estado até o final de 2022. Cada Escritório Regional do IAT planejou atividades para o plantio de mudas respeitando as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) diante da pandemia do coronavírus.

Em algumas cidades, por exemplo, a distribuição de mudas à população aconteceu no sistema Drive Thru, mantendo o distanciamento social e o uso de máscaras e álcool em gel.

“Plantar mudas nativas contribui não apenas com a manutenção de um clima ameno, mas também com a conservação das nascentes, responsáveis pelo nosso abastecimento de água”, destacou o diretor de Patrimônio Natural do IAT, Rafael Andreguetto.

 

Estado agora acumula 144.792 infecções e 3.622 mortes em decorrência da doença. O Boletim da Secretaria da Saúde desta quarta-feira (9) também informa que há 1.012 pacientes com diagnóstico confirmado internados e 1.224 qua aguardam resultado do exame.

 

A Secretaria de Estado da Saúde confirma nesta quarta-feira (9) mais 1.066 diagnósticos positivos e 45 óbitos pela infecção causada pelo novo coronavírus. Com isso, o Paraná passa a acumular 144.792 casos e 3.622 mortes em decorrência da doença. Há ajustes nos casos confirmados detalhados ao final do texto.

INTERNADOS – Nesta quarta-feira há 1.012 pacientes com diagnóstico confirmado internados. São 861 pessoas em leitos SUS (386 em UTI e 475 em enfermaria) e 151 pacientes em leitos da rede particular (49 em UTI e 102 em enfermaria).

Há outros 1.224 pacientes internados, 500 em UTI e 724 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos das redes pública e particular e são considerados casos suspeitos da infecção pelo vírus Sars-CoV-2.

ÓBITOS – As 45 pessoas que faleceram estavam internadas. São 21 mulheres e 24 homens, com idades que variam de 32 a 90 anos. Um dos óbitos ocorreu em 7 de agosto e os demais entre os dias 2 e 9 de setembro.

Os pacientes que faleceram residiam em Curitiba (12), Paranaguá (4), Londrina (3), Campo Mourão (2), Colombo (2), Jataizinho (2), Palotina (2), Ponta Grossa (2). A Secretaria da Saúde divulga também um óbito em cada um dos municípios de Balsa Nova, Castro, Conselheiro Mairinck, Cornélio Procópio, Fazenda Rio Grande, Guaratuba, Imbituva, Marumbi, Medianeira, Pinhais, Piraquara, Quatiguá, Quatro Barras, Quinta do Sol, Reserva e São José dos Pinhais

FORA DO PARANÁ – O monitoramento da Secretaria da Saúde registra 1.541 casos de residentes de fora, sendo que 38 pessoas foram a óbito.

AJUSTES
Alteração de município:

Um caso confirmado no dia 30/08 em Toledo foi transferido para Cianorte.

Exclusão:
Um caso confirmado no dia 07/09 em Londrina foi excluído por duplicidade de notificação.

Estado agora acumula 144.792 infecções e 3.622 mortes em decorrência da doença. Boletim da Secretaria da Saúde desta quarta-feira (9) também informa que há 1.012 pacientes com diagnóstico confirmado internados e 1.224 qua aguardam resultado do exame.

 

A Secretaria de Estado da Saúde confirma nesta quarta-feira (9) mais 1.066 diagnósticos positivos e 45 óbitos pela infecção causada pelo novo coronavírus. Com isso, o Paraná passa a acumular 144.792 casos e 3.622 mortes em decorrência da doença. Há ajustes nos casos confirmados detalhados ao final do texto.

INTERNADOS – Nesta quarta-feira há 1.012 pacientes com diagnóstico confirmado internados. São 861 pessoas em leitos SUS (386 em UTI e 475 em enfermaria) e 151 pacientes em leitos da rede particular (49 em UTI e 102 em enfermaria).

Há outros 1.224 pacientes internados, 500 em UTI e 724 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos das redes pública e particular e são considerados casos suspeitos da infecção pelo vírus Sars-CoV-2.

ÓBITOS – As 45 pessoas que faleceram estavam internadas. São 21 mulheres e 24 homens, com idades que variam de 32 a 90 anos. Um dos óbitos ocorreu em 7 de agosto e os demais entre os dias 2 e 9 de setembro.

Os pacientes que faleceram residiam em Curitiba (12), Paranaguá (4), Londrina (3), Campo Mourão (2), Colombo (2), Jataizinho (2), Palotina (2), Ponta Grossa (2). A Secretaria da Saúde divulga também um óbito em cada um dos municípios de Balsa Nova, Castro, Conselheiro Mairinck, Cornélio Procópio, Fazenda Rio Grande, Guaratuba, Imbituva, Marumbi, Medianeira, Pinhais, Piraquara, Quatiguá, Quatro Barras, Quinta do Sol, Reserva e São José dos Pinhais

FORA DO PARANÁ – O monitoramento da Secretaria da Saúde registra 1.541 casos de residentes de fora, sendo que 38 pessoas foram a óbito.

AJUSTES
Alteração de município:

Um caso confirmado no dia 30/08 em Toledo foi transferido para Cianorte.

Exclusão:
Um caso confirmado no dia 07/09 em Londrina foi excluído por duplicidade de notificação.

PUBLICIDADE LEGAL

 

PUBLIQUE SÚMULAS

FALE CONOSCO

tudoPinhais@gmail.com

(41) 36638447

41-99690-0125

 

CONTATO COMERCIAL

atendimento pelo email:

tudoPinhais@gmail.com

 

Visitantes

004501384
Hoje
Ontem
Ultima Semana
Ultimos Mêses
Este Mês
Último Mes
Total Geral
1890
2349
13171
4473018
32541
76440
4501384

Your IP: 172.69.63.143
Server Time: 2021-01-15 19:57:28

Facebook